VLT - Veículo leve sobre trilhos

A solução de mobilidade urbana que o Rio de Janeiro esperava.

Veículo Leve sobre Trilhos

Solução em mobilidade urbana sem impacto ambiental para a cidade.

Você conhece o VLT?

Ele é a solução que muitos países encontraram para diminuir significativamente o impacto no trânsito das grandes cidades. Com o VLT todo mundo chega mais rápido porque ele não perde tempo em engarrafamento nem ocupa espaço no trânsito.

O VLT não polui, é prático, tem um visual moderno e já está em operação com sucesso em mais de 400 cidades nos cinco continentes.

O VLT Carioca

Um meio de transporte eficiente e com o charme do Rio.

O VLT está chegando ao Rio para facilitar a vida de todo carioca e integrar o plano de mobilidade da Prefeitura do Rio para a cidade. Com ele você acessará com maior rapidez e comodidade as principais regiões do Centro e Região Portuária, por meio de uma rede com aproximadamente 28 quilômetros de extensão. Um jeito prático, moderno e confortável de se locomover.

O VLT Carioca funcionará 24 horas, sete dias por semana, e terá integração total com o Aeroporto Santos Dumont, barcas, trens, metrô, ônibus e BRTs. Assim, se deslocar pela cidade vai ficar ainda mais fácil e o seu dia vai render muito mais.

Além da mobilidade urbana, o carioca passa a contar com um transporte de qualidade ecologicamente correto, trazendo desenvolvimento econômico e ambiental para a cidade. Com a revitalização da Região Portuária, novos imóveis residenciais e comerciais criarão empregos e gerarão renda.

Ah, e vale lembrar que a implantação do VLT tem um custo em longo prazo menor que outros meios de transporte sobre trilhos e, por ser um veículo não poluente, gera retorno também em qualidade de vida para todos nós.

Instrumento de uma política global de mobilidade, a tecnologia do Veículo Leve sobre Trilhos está em operação em mais de 400 cidades e em implantação ou desenvolvimento em cerca de 260 cidades distribuídas nos cinco continentes.

Operação

Fique por dentro de como funcionará o VLT do Rio.

O intervalo entre os VLTs poderá variar entre três e 15 minutos, conforme a linha e o horário do dia.

E mais, o VLT é um transporte que dará ao usuário motivos de sobra para apreciar as melhorias da cidade, pois seu trajeto percorrerá toda a área revitalizada da cidade, pela Operação Urbana Porto Maravilha.

O itinerário do VLT Carioca foi definido considerando-se dois aspectos:

  • A utilização desse sistema como uma das principais ações de mobilidade da Operação Urbana Porto Maravilha;
  • A função de interligação da Região Portuária com a área central de negócios de forma rápida, segura e eficiente, uma vez que quando todas as linhas estiverem em operação, a capacidade do sistema chegará a 300 mil passageiros por dia.

Tecnologia

Segurança para você e para o meio ambiente também.

O VLT é um veículo ecologicamente correto, pois utiliza um sistema próprio de geração de energia pelo solo para circular e não utiliza combustível fóssil, por isso não emite gases tóxicos. Outra característica é a presença de três mecanismos de freio: mecânico, motor e de emergência. Além disso, o VLT possui piso rebaixado, que garante uma melhor acessibilidade aos vagões e ar-condicionado de última geração, mantendo o clima interno entre 20° e 24°c.

Os condutores do VLT serão profissionais altamente capacitados e treinados, com intuito de proporcionar a melhor experiência aos usuários, sempre destacando aspectos de segurança e serviço ao cliente.

As primeiras cinco unidades do VLT estão em fase de produção na França e a partir da transferência da tecnologia da fabricante para a Concessionária do VLT Carioca, todos os demais veículos serão produzidos no Brasil.

O VLT do Rio será um dos primeiros do mundo projetado totalmente sem catenárias (cabos para captar energia elétrica em fios suspensos).

O abastecimento de energia será feito pelo sistema APS (alimentação pelo solo), que é uma espécie de terceiro trilho, já implantado com sucesso em diversas cidades europeias. Na prática, trata-se de um sistema de alimentação de energia pelo solo combinado a um supercapacitor (uma fonte de energia embarcada).

Fatos e Mitos

Se eu encostar no trilho posso tomar choque?

Não. O sistema de alimentação elétrica do VLT será dotado de um mecanismo de segurança que impede que o trilho condutor de energia permaneça energizado fora da área em que o veículo estiver passando, eliminando o risco de choque elétrico.

O abastecimento de energia será feito pelo sistema APS (alimentação pelo solo), que é uma espécie de terceiro trilho, já implantado com sucesso em diversas cidades europeias. Na prática, trata-se de um princípio de alimentação de energia pelo solo combinado com um supercapacitor (uma fonte de energia embarcada).

Se faltar luz na cidade o trem para de andar?

O sistema de alimentação será conectado a dois pontos de fornecimento da concessionária de energia elétrica. Em caso de falha de um dos dois, o circuito continuará sendo alimentado, mas de forma parcial – intervalos maiores, velocidades reduzidas ou operação somente em alguns trechos das linhas. O objetivo será manter um funcionamento operacional constante e adequado, para um maior conforto, segurança e mobilidade dos usuários.

Os VLTs terão que respeitar alguma sinalização durante o percurso?

Sim. O VLT vai dispor de um código próprio de sinalização luminosa, mas não é só a esse sistema que o condutor irá obedecer. Todos serão treinados para respeitar tanto a sinalização viária quanto a ferroviária, acatando normas e estratégias acordadas entre a Concessionária do VLT Carioca e a Cet-Rio.

Se chover o trem diminui a velocidade de circulação?

A chuva não interfere na circulação do veículo, pois ele opera a baixas velocidades e devido a sua tecnologia, existe o controle absoluto para evitar escorregamento, mesmo com trilhos molhados. Caso as chuvas torrenciais provoquem alagamento momentâneo em determinadas áreas de circulação do VLT, o sistema de energia será desligado por segurança. Isso irá provocar a paralisação do veículo nas áreas afetadas.

Como deverá ser a convivência entre os diferentes meios de transporte que circularão na cidade, incluindo o VLT?

Os condutores do VLT serão especialmente treinados para circular de maneira segura. Carros e VLTs circularão nas mesmas vias e seguirão as regras de trânsito de forma harmônica.

Qual será o valor da tarifa do VLT?

O sistema vai começar a operar com uma tarifa a ser definida pela Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. O plano prevê a integração do sistema aos ônibus urbanos, BRTs, trens, metrô e barcas, com utilização do Bilhete Único. A bilhetagem será feita de forma eletrônica e voluntária.

O trem tem condutor?

Sim. O trem do VLT – será bidirecional, isto é, funcionará em duas direções. Por isso, irá dispor de duas cabines, uma em cada extremidade. É de uma dessas cabines que o condutor irá trabalhar, dependendo do sentido de circulação.

Qual a velocidade média do trem?

Os veículos circularão a uma velocidade média de 15 Km/h, incluindo as paradas para embarque e desembarque.

Quantos trens irão circular no VLT?

Ao todo serão 32 veículos. Inicialmente serão construídas cinco unidades, todas na França. Os demais 27 serão fabricados no Brasil. No entanto, é a partir da manutenção e do planejamento operacional – baseado na demanda e no horário – que a quantidade de veículos em circulação será estipulada.

Haverá pessoas treinadas para o atendimento ao público/seguranças nas estações?

Sim. As estações e paradas contarão com colaboradores da concessionária disponíveis e treinados para atendimento aos clientes. Eles irão contribuir para o cumprimento de um serviço de qualidade aos passageiros.

Como o pedestre deverá se comportar ao transitar nas ruas por onde o VLT passará?

O pedestre deverá adotar conduta recomendada pelo Código de Trânsito, como atravessar na faixa de pedestre, respeitar os sinais de trânsito e estar atento para não permanecer no espaço destinado aos trilhos do VLT.

Qual o tempo de espera média pelo trem?

O tempo de espera vai variar entre 3 e 15 minutos, dependendo do horário e local. De madrugada, o VLT circulará de 30 em 30 minutos.

Como será a acessibilidade às estações do VLT?

As estações e paradas ficarão a cerca de 20 cm de altura e serão adotadas rampas suaves e antiderrapantes que facilitem o acesso de pessoas portadoras de necessidades especiais. Cada plataforma disporá de acesso nas extremidades e será dotada de linha de piso podotátil (próprio para portadores de deficiência visual) em toda a sua extensão, visando auxiliar e guiar as pessoas com deficiência visual.

Os veículos do VLT disporão de locais especiais para cadeiras de rodas com cinto de segurança.

Porto maravilha

O maior projeto de reforma urbana do Brasil é carioca

O VLT faz parte também de um projeto de reestruturação e mobilidade urbana inédito na cidade. Com perímetro de ação de 5 milhões de m², a Operação Urbana Porto Maravilha ousa não apenas no tamanho, mas também nos impactos positivos para a Região Portuária, moradores e patrimônio da cidade. Iniciativa da Prefeitura do Rio criada pela Lei Municipal Complementar n˚ 101/2009, tem o desafio de revitalizar uma das áreas em que a cidade começou, trazer futuro, desenvolvimento socioeconômico e modernidade ao mesmo tempo em que resgata e valoriza o patrimônio histórico e cultural da cidade

Os limites das obras do Porto Maravilha são as Avenidas Presidente Vargas, Rodrigues Alves, Rio Branco, e Francisco Bicalho. A operação implanta conceitos modernos de mobilidade urbana na Região Portuária, referência para toda a cidade. Em eixo viário importante, a área recebe o fluxo de veículos que chega de todas as direções da Região Metropolitana, integra as zonas Norte, Sul e Centro e ainda tem o próprio tráfego.

O novo sistema substitui o conjunto Avenida Rodrigues Alves e Elevado da Perimetral por duas novas grandes vias, Binário do Porto e Expressa, privilegia o transporte público coletivo, valoriza a ideia de morar perto do trabalho, cria mais espaços para pedestres, implanta 17 km em ciclovias, contempla recursos de acessibilidade e integra os meios de locomoção na área. É voltado às pessoas.

O Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), com aproximadamente 28 quilômetros de vias, entra nesse sistema e conecta BRT Transbrasil, rodoviária, metrô, trens, barcas, teleférico, aeroporto e terminal marítimo de passageiros.

A Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) é a gestora da prefeitura na Operação Urbana Consorciada Porto Maravilha. Cabe à Cdurp a articulação entre os demais órgãos públicos.

REGRAS URBANÍSTICAS E AMBIENTAIS

Para promover um ambiente urbano saudável e sustentável, novas edificações devem obedecer a parâmetros específicos:

• Afastamento e recuo adequados entre as novas construções

• Economia de consumo de água e reaproveitamento de águas pluviais e servidas

• Economia e/ou geração local de energias limpas

• Uso de aquecimento solar

• Uso de telhados verdes e/ou reflexivos do aquecimento solar

• Maximização da ventilação e iluminação natural

• Uso de materiais com certificação ambiental

• Facilitação de acesso e uso de bicicletas

PRINCIPAIS SERVIÇOS

Manutenção e conservação de monumentos turísticos, históricos e geográficos

• Conservação e manutenção do sistema viário

• Manutenção da sinalização de trânsito

• Instalação e conservação de bicicletários

• Conservação e manutenção de áreas verdes e praças

• Manutenção e reparo de iluminação pública e calçadas

• Execução de serviços de limpeza urbana

• Implantação de coleta seletiva de lixo

• Manutenção da rede de drena


Acompanhe a Operação Urbana Porto Maravilha aqui

Principais obras:

Demolição do Elevado da Perimetral (4,8 km)

Construção de 4,8 km de túneis

Reurbanização de 70 km de vias e 650.000 m² de calçadas

Implementação e reconstrução de 700 km de redes de infraestrutura urbana: Sistemas de água, saneamento, drenagem, energia, gás natural, iluminação pública e telecomunicações

Substituição do conjunto Avenida Rodrigues Alves e Elevado da Perimetral pelas novas vias Expressa e Binário do Porto

Implantação de 17 km de ciclovias

Passeio público de 3.450m de extensão e 215.062m²

Plantio de 15.000 árvores, além das compensações das retiradas no processo das obras, de acordo com as especificações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC)

Principais Impactos:

Aumento da população de 32 mil para 100 mil habitantes em 10 anos

Aumento da área verde de 2,46% para 10,96%

Aumento na capacidade de fluxo de tráfego

Redução da poluição do ar e sonora, com retirada da Perimetral, implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), de ciclovias e redução do transporte pesado na área

Aumento da permeabilidade do solo

Aumento e melhoria da qualidade da oferta de serviços públicos

Transformação da região em referência para a cidade

A Concessionária do VLT Carioca S.A é a
empresa responsável pela implantação,
administração, compra dos
trens e sistemas do Veículo Leve sobre
Trilhos, operação e manutenção.

No dia 14 de junho de 2013, a Prefeitura do Rio e a concessionária firmaram o contrato de concessão. O projeto da Prefeitura será executado numa Parceria Público-Privada (PPP), num prazo de 25 anos a partir da emissão da ordem de início.

O VLT

Transparência e ética são pilares para uma empresa que investe em melhorias para a cidade.

O consórcio é formado pelas empresas CCR (24,9317%), Odebrecht Transport (24,9317%), e Invepar (24,9317%), Riopar Participações (24,9317%), BRt – BenitoRoggio Transporte (0,2506%) e a RATP do Brasil Operações, Participações e Prestações de Serviços para Transporte (0,0226% de participação).

Desde os primeiros dias de sua formação, a Concessionária do VLT Carioca tem o objetivo de trabalhar com foco na prestação de um serviço público transparente, eficiente e seguro. A meta é transportar o carioca com a agilidade e a segurança que ele merece, facilitando o cumprimento de seus compromissos diários e dinamizando os processos econômico-financeiros da área central do município.

Dedicação, competência, responsabilidade e respeito a todos os passageiros do VLT. Essa é a motivação dos trabalhos de planejamento e implantação do Veículo Leve sobre Trilhos do Rio. Aos poucos, o projeto vai ganhando forma e o sonho de ser símbolo da integração no centro da cidade vai se tornando realidade.

Imagens do Projeto

Acionistas

Um dos maiores grupos de concessão de infraestrutura da América Latina. Controla 2.437 quilômetros de rodovias sob a gestão das concessionárias CCR Ponte (RJ), CCR NovaDutra (SP-RJ), CCR ViaLagos (RJ), CCR RodoNorte (PR), CCR AutoBan (SP), CCR ViaOeste (SP) e CCR RodoAnel (SP), CCR SPVias (SP) e Renovias (SP). Também faz parte do controle acionário da concessionária Transolímpica, que irá construir e operar o Corredor Expresso Transolímpica, no Rio de Janeiro.

Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa. Emprega, atualmente, cerca de 10 mil colaboradores e está listada no ranking das 100 melhores empresas para Trabalhar.

O Grupo CCR atua ainda em negócios correlatos, tendo participação de 38,25% na STP, que opera o serviço de cobrança automática de pedágios e estacionamentos, e de 45% no capital social da Controlar, concessionária que realiza o programa de inspeção veicular da cidade de São Paulo. Além disso, o Grupo CCR está presente no segmento de transporte de passageiros por meio das concessionárias ViaQuatro e CCR Barcas, responsáveis, respectivamente, pela operação da Linha 4-Amarela de metrô de São Paulo e pelo transporte aquaviário de passageiros no Rio de Janeiro. Ingressou, em 2012, no setor aeroportuário com a aquisição de participação acionária nas concessionárias dos aeroportos internacionais de Quito, San Jose e Curaçao. Comprometida com o desenvolvimento sustentável, a CCR assinou o Pacto Global da ONU e faz parte da carteira teórica do ISE*.

Empresa da Organização Odebrecht criada em 2010, a Odebrecht TransPort Participações S.A. atua como investidora e operadora nas áreas de Mobilidade Urbana, Rodovias e Sistemas Integrados de Logística. Seus investimentos são direcionados para projetos desde sua fase inicial de desenvolvimento até seu pleno funcionamento e operação.

São estes os empreendimentos de que participa: SuperVia - maior malha ferroviária de transporte de passageiros do país em extensão; ViaQuatro – opera e realiza a manutenção da Linha 4 (Amarela) do Metrô de São Paulo; Otima – serviço dirigido aos passageiros de ônibus na cidade de São Paulo, com a implantação e manutenção de 7.500 abrigos e 12,5 mil totens, e recuperação ou construção de calçadas ao redor dos abrigos; Rota das Bandeiras; Rota dos Coqueiros; Rota do Atlântico; CLN - Concessionária Litoral Norte; ConectCar – sistema de pagamento eletrônico pré-pago de pedágios, estacionamentos e postos de combustíveis; Embraport – maior terminal portuário privativo de uso misto do país, com início de operação em 2013; Logum – responsável pela construção de um sistema integrado de logística para o transporte de etanol; Liquiport –operadora portuária, no Porto de Vila Velha (ES), dedicado a operações de soda cáustica.

A Invepar é um dos maiores operadores privados de infraestrutura de transporte do Brasil, com atuação nos segmentos de Rodovias, Aeroportos e Mobilidade Urbana. O grupo iniciou suas operações em 2000, controla atualmente nove concessões rodoviárias, totalizando 1.963,8 quilômetros sob gestão, GRU Airport, Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos, considerado o maior da América Latina; e duas concessões no segmento de mobilidade urbana: MetrôRio e VLT Carioca. Comprometida com o desenvolvimento sustentável, a Invepar é signatária do Pacto Global da ONU desde 2010.

Holding criada pelo Sistema Fetranspor com o objetivo principal de captar novos negócios para o sistema no segmento de transporte de passageiro.

Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro

Quinta maior empresa
do mundo
de transportes públicos,

atuando nos segmentos de ônibus, metrô, trens e bondes, transportando mais de 10 milhões de pessoas por dia e empregando mais de 56 mil pessoas em todo o mundo.

A Benito Roggio Transporte é a empresa de transportes do Grupo Roggio, da Argentina, que reúne empresas dos setores de transporte ferroviário de passageiros (subterrâneo e de superfície) e transporte rodoviário, além de transporte de cargas e exportações. Essas empresas formam um conjunto de empreendimentos e negócios que anualmente transportam 500 milhões de passageiros e 936 mil toneladas de cargas.

Faq

Você é o principal motivo pelo qual o VLT será implantando no Rio, então veja aqui as principais dúvidas sobre o sistema.

Mas caso você ainda tenha alguma pergunta, entre em contato. Ficaremos felizes em poder ajudar.

Fale Conosco

Concessionária do VLT Carioca S/A

Rua Santa Luzia, 651, 15º andar,
Centro – Rio de Janeiro – CEP: 20030-041

Trabalhe conosco – Banco de Talentos: recrutamento@vltrio.com.br
E-mail: ouvidoria@vltrio.com.br
Telefone: 0800 000 0858
Twitter: www.twitter.com/VLTCarioca ou @VLTCarioca

© Copyright 2016 - Direitos Reservados - VLT

Carregando